O Banquete e a noção platónica de conhecimento

Sócrates — Que dizes, Diotima, então Eros é feio e mau?
Diotima — Vê lá o que dizes! Julgas, por acaso, que o que não é belo deve ser necessariamente feio?
Sócrates — Com certeza!
Diotima — Julgas que quem não é sábio é ignorante, e desconheces que existe um meio termo entre a sabedoria e a ignorância?
Sócrates — Que meio termo é esse?
Diotima — Não sabes que a opinião acertada sem conveniente justificação não é sabedoria — pois como poderia uma coisa ser sabedoria se não sabemos fundamentá-la? e também não é ignorância, porque o que atinge a verdade não pode ser ignorância? A opinião verdadeira é, por conseguinte, como que um meio termo entre a sabedoria e a ignorância.
Sócrates — Sinto que falas a verdade!
Diotima — Não concluas, então, apressadamente, que o que não é belo é feio, e que o que não é bom é mau. Assim se passa com Eros: não julgues, porque tu próprio reconheces que o que não é belo nem bom seja necessariamente feio ou mau. Ele é algo de intermédio entre dois extremos.
Platão, O Simpósio (ou O Banquete), 201e-202b. Trad. de Pinharanda Gomes

Comentários

  1. Muito interessante essa postagem. Fiz um pequeno comentário sobre algumas frases de Platão em meu blog, muito me interessaria que desse uma "olhada":
    http://claritasetsimplicitas.blogspot.com.br/2015/02/a-imensidao-de-platao-i.html

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Dedução e indução

O universo da lógica

Filmes