Mensagens

A mostrar mensagens de 2016

Juízos de facto e de valor

Será que todos os juízos de facto são facilmente verificáveis ou confirmáveis, sendo isso que os distingue dos juízos de valor? Será que todo o juízo ou é de facto ou é de valor? Serão todos os juízos de valor normativos? E um juízo filosófico como “O livre-arbítrio não é compatível com o determinismo”, será um juízo de facto ou de valor?

Estas e outras perplexidades que surgem muitas vezes em sala de aula são esclarecidas num documento que acabámos de acrescentar ao nosso Manual Digital do 10.º, na página 50.

Esperamos que os esclarecimentos sejam úteis, para colegas e estudantes.

Contacto directo

Imagem
A partir da próxima semana, os colegas que adoptaram os nossos manuais irão receber por email materiais didácticos complementares -- bancos de questões, textos complementares ou fichas de trabalho. Alguns destes materiais ficarão também disponíveis no manual digital.

Caso o colega queira receber por email estes materiais e não tenha facultado o seu endereço no espaço do professor, é agora a hora de fazê-lo.

O universo da lógica

Imagem
É sempre útil, para quem ensina alguns rudimentos de lógica, ter uma perspetiva geral do universo da lógica, que é bem mais rico e variado do que muitas vezes se supõe.

Adivinha-se a pergunta: então e a lógica aristotélica, onde está? A resposta é que cabe praticamente toda na lógica de predicados, sendo esta simultaneamente mais detalhada e abrangente.

Este mapa foi elaborado como guia para uma ação de formação sobre lógica a iniciar brevemente (destinada a colegas professores de filosofia).




2.º Congresso Português de Filosofia

Imagem
A Sociedade Portuguesa de Filosofia, em parceria com o Instituto de Filosofia e o Departamento de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, e em colaboração com a Associação Portuguesa de Filosofia Fenomenológica, a Associação Portuguesa de Teoria do Direito, Filosofia do Direito e Filosofia Social, o Instituto de Filosofia Luso-Brasileira, a Sociedade de Ética Ambiental e a Sociedade Portuguesa de Filosofia Analítica, organiza o 2º Congresso Português de Filosofia, que decorrerá na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, nos dias 8 e 9 de Setembro de 2016
Trata-se de um evento que se pretende aglutinador de toda a comunidade filosófica portuguesa e que contará ainda com os presidentes das instituições homólogas da SPF em Espanha (REF) e Brasil (ANPOF).
Os oradores convidados internacionais são a filósofa francesa Claudine Tiercelin, do Collège de France, e o filósofo espanhol Daniel Innerarity, investigador da Universidade do País Basco.

Exame da 2.ª fase de 2016

Aqui ficam a prova de exame da 2.ª fase e respetivos critérios de classificação. A prova foi realizada ontem, dia 19 de julho.

Exame nacional de Filosofia, 2016

Foi realizado ontem o exame nacional de Filosofia. A prova pode ser consultada aqui e os critérios de classificação aqui.

Explicação da crítica igualitarista de Cohen à teoria da justiça de Rawls

Imagem
O texto abaixo é retirado do livro Capitalismo. Porque Não? recentemente publicado entre nós (Gradiva). Aí, o filósofo político Jason Brennan explica de forma muito clara e acessível a crítica do filósofo marxista G. A. Cohen à teoria da justiça de Rawls.

Cohen tem um diagnóstico sobre quais as razões por que a filosofia política está errada – porque é que, na sua perspectiva, os filósofos políticos são demasiado optimistas sobre os mercados e o capitalismo. Em Defesa do Socialismo é uma pequena peça do projecto mais extenso de Cohen de resgatar a filosofia dos seus caminhos errantes. Ele pensa que os filósofos construíram teorias pouco ambiciosas da justiça porque tratam erradamente a natureza humana como uma limitação à justiça. Em particular, Cohen pensa que os filósofos tratam erradamente factos sobre o que as pessoas estão dispostas a fazer como uma limitação ao que as pessoas deveriam fazer. Para entender a acusação de Cohen, precisamos de algum conhecimento do filósofo John Rawl…

Críticas à Teoria da Justiça de Rawls

Imagem
Uma das principais motivações da teoria da justiça de Rawls foi encontrar uma alternativa ao utilitarismo que, de há muito, orientava grande parte da teoria política. Rawls considerava que o utilitarismo contraria as nossas intuições sobre a justiça, dado que não exclui o sacrifício de alguns em prol da maximização do bem-estar geral. Mais precisamente, o utilitarismo contraria a nossa intuição de que, se queremos ser justos, devemos tratar todas as pessoas como iguais. Ora, pensa Rawls, a proteção de certos direitos e liberdades é o que garante um tratamento igual de todas as pessoas. 
Em grande parte, a teoria da justiça de Rawls visa mostrar quais são esses direitos e liberdades, evitando cair no habitual extremo oposto ao utilitarismo, isto é, evitando caucionar a pluralidade de intuições desconexas e incompatíveis entre si e a que dava o nome de "intuicionismo". A ideia de Rawls foi precisamente desenvolver uma teoria política capaz de articular de forma sistemática e …

Metal filosófico

Imagem
Nos dias 8 e 9 de abril tiveram lugar na Escola Didáxis - Riba de Ave, as V Olimpíadas Nacionais de Filosofia, cujos resultados foram os seguintes:


Medalha de Ouro (centro) - Frederico Saleiro Cardoso (Colégio Cedros, Vila Nova de Gaia)
Medalha de Prata (esquerda) - Alexandre Eira (ES Virgílio Ferreira, Lisboa)
Medalha de Bronze (direita) - Tiago Luís Resende (ES Amadora, do AE Pioneiros da Aviação Portuguesa.

Menções Honrosas:
Andreia Isabel Vitorino (ES Dr. Ginestal Machado, Santarém)
João Miguel Sousa (Colégio Pedro Arrupe, Lisboa)
Beatriz Gouveia de Jesus (Colégio Guadalupe, Seixal)


Parabéns aos vencedores, que irão representar Portugal nas Olimpíadas Internacionais, a realizar no próximo mês de maio na cidade belga de Gand. Estão de parabéns também todos os outros participantes, seus acompanhantes e os organizadores.
As fotos aqui usadas foram retiradas da página de FaceBook da Prosofos, responsável pela organização anual das Olimpíadas de Filosofia.

Outro novo canal: Penso Logo Assisto

Imagem
Outro canal de filosofia em português que merece ser acompanhado é Penso Logo Assisto.

Aqui fica uma amostra.

Um novo canal de filosofia em português

Imagem
Tem apenas dois meses, mas já promete. Trata-se do canal SciFilo, da responsabilidade do jovem brasileiro Kherian Gracher. Vale muito a pena subscrever. É grátis e tem qualidade!

Eis um exemplo, para confirmar.

A filosofia na cidade

Imagem
BBC Radio 4 lança um programa de filosofia pública chamado The Global Philosopher. Cada episódio é uma sessão de filosofia pública, dirigida pelo conhecido filósofo Michael Sandel, da Universidade de Harvard, e com a participação por videoconferência de pessoas de todo o mundo. A gravação em vídeo do primeiro episódio foi editada e disponibilizada online na página da BBC. Este primeiro episódio foi sobre o problema da imigração e dos refugiados e tem a duração de aproximadamente meia-hora.


É pena ser em inglês e não haver tradução para português, mas pode, mesmo assim, ser útil para muitos professores e alunos, até porque é uma excelente sugestão para tratar no âmbito dos temas/problemas do mundo contemporâneo.

Olimpíadas nacionais de filosofia 2016

Imagem
As inscrições para as V Olimpíadas Nacionais de Filosofia já estão abertas e o prazo para se inscreverem termina no dia 26 de fevereiro. Os alunos interessados terão pedir aos seus professores que o façam e estes poderão preencher a ficha diretamente aqui. As Olimpíadas deste ano decorrerão nos dias 8 e 9 de abril na Didáxis - Cooperativa de Ensino, em Riba D'Ave.


Prémio Ensaio Filosófico SPF 2015

Imagem
A Sociedade Portuguesa de Filosofia (SPF) acabou de divulgar o vencedor do Prémio Ensaio Filosófico de 2015. Eis o comunicado da SPF.
A edição de 2015 do Prémio SPF, promovido pela Sociedade Portuguesa de Filosofia com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, colocou a concurso uma questão no âmbito da metafísica: Em que consiste a identidade pessoal ao longo do tempo?
É com satisfação que se anuncia que o vencedor do prémio, no valor de dois mil euros, é Hugo Ferreira Luzio, autor do ensaio “A Continuidade Física Garante a Persistência Pessoal no Tempo”.

Hugo Ferreira Luzio frequenta a licenciatura em Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde integra o Grupo de Estudos Políticos e o grupo de discussão filosófica Argument Clinic. Em 2014, obteve uma menção honrosa nas III Olimpíadas Nacionais de Filosofia e, no ano seguinte, uma medalha de bronze nas I Olimpíadas Iberoamericanas de Filosofia. Foi o vencedor do Prémio Prof. Doutor Joaquim Cerqueira Gonçalv…